Bem-vindos!

É com grande alegria e responsabilidade que recebo, todos os dias, tantas pessoas interessadas em saber mais da Psicoterapia Reencarnacionista e da Regressão Terapêutica, dos cursos que a Associação Brasileira de Psicoterapia Reencarnacionista – ABPR – oportuniza dessa terapia espiritual, dos livros que venho escrevendo para ajudar a popularizá-la, e dos hinos que venho recebendo há alguns anos do Mundo Espiritual, trazendo uma doutrina de como devemos nos comportar para chegarmos mais rapidamente à nossa meta final: A Purificação.

Entrevista sobre o projeto Visibilidade Zero na Câmara de Vereadores de Porto Alegre em 2016 - parte 1

Depoimentos

Ir para depoimento anterior Ir para próximo depoimento

Se me permite em primeiro lugar, gostaria de parabenizar seu belo trabalho, sou sua admiradora. Já li dois de seus livros e fiquei encantada. Mas tenho muitas dúvidas sobre o Espiritismo, apesar de já ter lido alguns livros e assistido a muitas palestras. Também já fiz duas sessões de regressão. Acredito e amo a visão espírita. Mas não consigo entender muitas coisas e isso me incomoda. Por isso, resolvi lhe escrever, e gostaria se fosse possível, que me ajudasse a esclarecer. Uma delas é a falta de memória das vidas passadas. Qual o sentido de não lembrarmos nada do que vivemos e ainda, qual o sentido de não lembrarmos do que nos propomos e planejamos no Plano Astral. Essa ausência de memória dificulta a evolução espiritual. Pois no meu caso, quero evoluir mas não sei o que planejei e a que me propus quando desencarnada. Não sei que caminho seguir. Como evoluir e progredir espiritualmente sem a lembrança do Plano Astral? E outra dúvida que tenho é em relação a infância. Se de fato a infância não interfere em nossa personalidade como explicar por exemplo caso de irmãos que tiveram os mesmos problemas quando adultos relacionados a drogas, se tiveram a mesma precária educação quando pequenos? Eu lhe agradeço se conseguir clarear meus questionamentos. Obrigada.

Ana Elisa Ramos Raymundo Bancária